Forjando o Aço

Um ferreiro, depois de viver intensamente na libertinagem, dec idiu entregar sua vida a DEUS. Ele passou a viver em função da sua fé, trabalhando com afinco na obra do SENHOR.

Num belo dia, recebeu a visita de um amigo  que  se  compadeceu  de  sua  difícil  situação, e disse:

-É realmente estranho que, justamente depois de você se tornar um homem temente a DEUS, as dificuldades em sua vida aumentaram, irmão José!

-Eu não pretendo enfraquecer sua fé, mas nada melhorou em sua vida.

O ferreiro não  respondeu  imediatamente. Primeiro  pensou  no  que  podia  estar  acontecendo e então pediu uma resposta a DEUS, sem entender o que se passava.

Entretanto como não queria deixar o amigo sem resposta, fitou os olhos na ferramenta de sua oficina e encontrando a explicação que procurava disse ao amigo:

-Chega em minhas mãos, nesta oficina, o aço  ainda  não  trabalhado, e  preciso  transformá-lo em espada. Você sabe como isso é feito?

-Não, respondeu o amigo sem entender o motivo da pergunta.

E disse o ferreiro:

-Primeiro, eu aqueço a chapa de aço num calor muito  grande  até  que  ela  fique  totalmente vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, pego o martelo mais pesado e aplico vários golpes para que ela vá adquirindo a forma desejada.

-Logo a mergulho em um tanque de água fria e a oficina inteira se enche com o vapor, enquanto a peça estala e “grita” por causa da súbita mudança de temperatura.

Tenho que repetir este processo até conseguir a espada perfeita, pois apenas uma vez não é suficiente.

O ferreiro fez uma pausa e depois continuou:

-Às vezes, o aço que chega às minhas mãos não consegue agüentar esse tratamento; o calor, as marteladas e a água fria acabam deixando o aço  todo  rachado.

Sendo  assim, jamais se transformará numa espada.

-Então simplesmente coloco-o no monte de ferro velho que você viu na entrada da loja.

O amigo ficou parado tentando decifrar aquelas palavras, mas o ferreiro  resolveu  quebrar o silêncio e concluiu:

-Sei que DEUS está me provando com “fogo”. Tenho aceitado as “marteladas” da vida, e às vezes me sinto tão frio, dolorido e machucado como o aço  sofre  na  mão  do  ferreiro. Mas, o que peço a DEUS é que nunca desista de mim, até que consiga tomar a forma que lhe agradar.

-Que ELE faça da maneira que achar melhor, pois jamais desistirei dELE.

-O que não quero, é ser colocado no monte de ferro velho da alma.

FONTE: O MENSAGEIRO


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!